Grupo Uirapuru - Orquestra de Barro apresenta espetáculo “Passarinhada” na CAIXA Cultural Fortaleza
A orquestra formada por jovens do povoado de Moita Redonda, em Cascavel (CE), resgata a tradição da cerâmica através da confecção de instrumentos Musicais

Unindo o canto dos pássaros com sons em instrumentos feitos de barro, o Grupo Uirapuru Orquestra de Barro apresenta o espetáculo “Passarinhada”, com músicas compostas por Jorge Santa Rosa, que acontece nos dias 22, 23 e 24 de maio, na CAIXA Cultural Fortaleza. A orquestra é formada por jovens do povoado de Moita Redonda, em Cascavel (CE), local que leva a tradição da confecção de peças em cerâmica há várias gerações. Além das apresentações haverá também  uma oficina gratuita de cerâmica, com técnicas ancestrais utilizadas no povoado e exposição e venda de peças e instrumentos feitos pelos jovens e seus familiares. Os ingressos custam R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia) e poderão ser retirados na bilheteria da CAIXA Cultural duas horas antes de cada apresentação. 
O grupo foi criado em 2009 no povoado de Moita Redonda,um dos principais polos de produção de cerâmica do Ceará, pelo artista plástico e luthier Tércio Araripe. A ideia foi resgatar a memória de uma tradição que vinha sendo abandonada pela nova geração da região com a realização de oficinas para a produção de instrumentos musicais feitos de barro.
 “Se não houver um interesse das novas gerações em dar continuidade à tradição, daqui uns 20 ou 30 anos não haverá mais nada de barro na comunidade”, comenta Tercio Araripe. “Com o surgimento de novos materiais no mercado como o plástico e o alumínio, a tradição vem se perdendo, mas é possível acompanhar a modernidade sem esquecer nossas raízes. Acredito que é possível abrir um novo leque de possibilidades de formação para os jovens com o barro.” - diz o artista plástico. 
A orquestra é formada por jovens do povoado, filhos e netos das “senhoras do barro”, que juntas com Tércio Araripe criaram diversos instrumentos de corda, sopro e percussão, como marimbas, tambores curvos, tímpanos violinos, violas, harpas, guitarras e flautas. 

Sobre a oficina
A oficina de cerâmica será ministrada gratuitamente na CAIXA Cultural nos dias 23 e 24, de 15 horas às 17 horas. Nela, os participantes irão aprender técnicas ancestrais utilizadas pelas “senhoras do barro”, no povoado de Moita Redonda, em Cascavel (CE), que ensinarão a confecção de peças tradicionalmente feitas por suas famílias. Os alunos utilizarão o barro colhido no rio “Mal Cozinhado”, que banha o povoado.
As inscrições são limitadas e devem ser feitas até o dia 21 de maio pelo email tercioararipe@gmail.com.

Trajetória
Moita Redonda é um polo de produção de cerâmica que tem reconhecimento em nível municipal, estadual e nacional. Porém, para chegar lá é preciso saber o caminho, pois não há placas. Também não tem água encanada. A cerâmica feita no povoado não tem origem festiva ou religiosa, nasceu da sobrevivência de ter um pote para guardar água e uma panela para cozinhar. A arte ancestral do barro se manifesta na região por meio de peças cozidas e pintadas com a antiga técnica do Toá, pigmento feito do próprio barro. A simbologia das pinturas representa desde folhas de cajueiro a ondas do mar, passando pelas antigas peças de madeira com as quais se transportavam as peças de barro em cima de burros. Ainda hoje, o trabalho com esse material é a fonte de renda das mais de 80 famílias de seus quase 900 habitantes.
As oficinas de cerâmica em Moita Redonda começaram em 2005, com o inicio das ações onde as senhoras de mais idade ensinavam as crianças e jovens. Em 2009, depois da proposta de criação do Grupo Uirapuru ser selecionada no edital Interações Estéticas da Funarte, o trabalho se expandiu. Inicialmente, o grupo tinha 30 inscritos, a partir dos 12 anos. Seis meses depois, o Grupo viajava a Brasília para tocar na II Conferência Nacional de Cultura
Daí em diante o grupo vem se apresentando em diversos estados do Brasil, levando seus espetáculos e sua tradição que ganhou um novo aliado, o Mataquiri Museu Escola de Arte e Residência Artística, localizado na sede do Instituto 3 Arte, onde a orquestra foi criada e mantem seus ensaios.
O museu surge com a proposta de unir a arte contemporânea com a arte ancestral, trazendo para o povoado novas linguagens e expressões artísticas.
 Já passaram pela orquestra cerca de 90 jovens e aproximadamente 600 participaram das oficinas de  confecção de instrumentos.  Segundo Tercio Araripe, a autoestima das pessoas da comunidade cresceu bastante com a atuação do Uirapuru.

Sobre Tércio Araripe - idealizado e diretor Grupo Uirapuru - Orquestra de Barro
Artista plástico e luthier, Tércio Araripe vem ao longo de mais de duas décadas dedicando-se à pesquisa e construção de instrumentos primitivos. Após experiências bem sucedidas com oficinas de confecção de instrumentos musicais feitos de barro, realizadas na Moita Redonda, percebeu a necessidade da manutenção destes projetos, não apenas capacitando os novos jovens da comunidade, mas possibilitando aos que outrora foram contemplados com as oficinas de confecção de instrumentos, a continuidade do processo de inclusão e resgate do patrimônio material e imaterial, permitindo que esses jovens passem a utilizar os instrumentos fabricados por eles próprios.

Ficha técnica:
CONCEPÇÃO E DIREÇÃO - Tercio Araripe
REGENTE – Marcelo Holanda
MUSICAS - Jorge Santa Rosa 
DIREÇÃO DE PALCO – Caroline Holanda 
ASSISTENTE DE PALCO - Gabi Costa
FIGURINISTA – Themis Memória, Marina de Botas e Sabyne Cavalcanti
CENÓGRAFA – Caroline Holanda
PRODUTOR – Lindemberg de Freitas (Flexos Arte)
MÚSICOS - jovens do povoado de Moita Redonda
TÉC. DE SOM – Clebert Helal
PROJETO LUMINOTÉCNICO – Walter Façanha
Instrumentos:
CORDAS - Viola, cello, violino, harpa e Guitarra.
SOPRO - Apitos, Flautas e trombetas.
PERCUSSÃO - Udú (moringa), Djambé, Tambores Curvos, Congas, Marimbas,  e outros.

·         Serviço – Espetáculo “Passarinhada” com Grupo Uirapuru Orquestra de Barro
Datas: 22, 23 e 24 de maio
Horários: dias 22 e 23 as 20 h e dia 24 as 19 h 
Local: CAIXA Cultural Fortaleza ( Rua Pessoa Anta, 287 - Praia de Iracema)
Classificação indicativa: Livre
Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)
* Vendas duas horas antes de cada espetáculo.
Serviço de manobrista gratuito nas apresentações
Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais
Informações: (85) 3453.2770

Mais informações para a imprensa sobre o espetáculo “Passarinhada”:
Juliana Lousada | (85) 8765.5727 | julianalousadas@gmail.com
Gabriela Dourado | (85) 8895dias .9232 | gabidourado@gmail.com

 

 
   
   
   
© 2005 Flexos Artes Todos os Direitos Reservados